sábado, 3 de janeiro de 2009

O que muda na ATP em 2009?

As novidades da ATP começam pelos nomes.

O circuito, antes conhecido como ATP Tour, agora é ATP World Tour. Os Masters Series viraram Masters 1000. E os torneios menores são ATP 500 e 250. Os números indicam a pontuação dada ao campeão do evento (mais informações aqui).

Os Grand Slam distribuirão 2000 pontos, o dobro de antigamente.

Outra novidade é que vitórias na Copa Davis e na World Team Cup (disputada em maio) passarão a valer pontos para o ranking, assim como foi feito com os Jogos Olímpicos em 2008. Por temporada, um tenista pode jogar até oito partidas da Davis em simples. Se ganhar todas, leva 625 pontos, 25 a mais que um finalista de Masters 1000.

Falando em Masters 1000, Hamburgo sai da lista de nove torneios dessa categoria. Xangai, que cede a Masters Cup a Londres, entra em seu lugar.

Os doze melhores tenistas do mundo são obrigados a disputar todos esses eventos, exceto Monte Carlo. Caso não justifiquem sua ausência de um deles, não poderão participar desses torneios no ano seguinte. Porém, assim como no feminino, eles dividirão um bônus de 6 milhões de dólares ao disputar os Masters 1000.

É bom deixar claro que essa regra não é válida para atletas que já entraram mais de 600 vezes em quadra no circuito, que são profissionais há mais de doze anos ou que tenham completado 31 anos. Roger Federer se enquadra no primeiro grupo.

Por último, 13 torneios, além dos Grand Slams, serão disputados simultaneamente entre homens e mulheres. São eles: Masters 1000 Madrid, Indian Wells e Miami e Brisbane, Sydney, Memphis, Acapulco, Estoril, Eastbourne, St. Hertogenbosch, New Haven, Pequim e Moscou.

Um comentário:

Dimas Martins disse...

Legal teu blog. Sou professor de tênis em Porto ALegre e o coloquei entre meus favoritos.Parabéns!