sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Heber Roberto Lopes: 4 jogos em 8 dias

Domingo, 23 de agosto: Goiás 2x1 Santos.

Terça-feira, 25 de agosto: Brasiliense 0x1 Vasco.

Quinta-feira, 27 de agosto: Botafogo 1x1 Cruzeiro.

Domingo, 30 de agosto: São Paulo x Palmeiras.


Este é o calendário da semana do árbitro Heber Roberto Lopes.

4 jogos em 8 dias.

É partida do vice-líder da Série A, do primeiro colocado na Série B, do vice-campeão da Libertadores e, para terminar, um clássico paulista.

Como é possível que um juiz seja escalado tantas vezes em um espaço de tempo tão curto?

Até o momento, os desafios e percalços do paranaense foram os seguintes:

1) Encarar o péssimo estado dos gramados do Serra Dourada e do Serejão.

2) Ser ágil ao solicitar o atendimento médico a Aloísio, que sofreu traumatismo craniano e que ficou sem respirar durante cerca de dez segundos graças a um chiclete.

3) Lidar com a pressão no Serejão, que estava com mais torcedores do que o estádio comporta.

4) Ouvir críticas pela má atuação no Engenhão, em que deixou de marcar um pênalti para o Botafogo e inverteu uma série de lances.

5) Se deslocar de um local para o outro, por mais que as viagens não sejam longas.

E depois disso tudo, ainda tem que encarar um São Paulo e Palmeiras.

Como fica seu treinamento diário?

E o desgaste físico?

E o cansaço mental?

Será que ninguém da Comissão de Arbitragem da CBF pensou nisso? Ele não poderia ter sido excluído de algum sorteio, apesar da escassa renovação do quadro de árbitros?

Heber não deveria ter o mesmo direito que os jogadores, de atuar, no máximo, duas vezes por semana?

Estamos reclamando dos juízes de barriga cheia!

Eles é que deveriam se irritar!

9 comentários:

Marco disse...

Massi... quanto ele ganha por escala? R$ 1.500,00, não? Pergunta se ele quer ficar em casa?... rs... Abraço! Marco.

Blog do Deco disse...

O Segredo do Héber deve ser o mesmo dos deputados que ganharão na Megasena umas 200 vezes.rsrsrs

Denilton "Pé" disse...

Massi,ele é um bom arbitro,mas não tem só elel no Brasil,tambem acho um exagero essa escala dele de 4 jogos em 8 dias.Abraço

Michel Farias disse...

Muito estranho isso, lembro bem que quando o Edilson foi pego naquela mutreta, o Héber também foi citado, mais depois abafou o caso e não sei o que deu.


Abraço!!

Alexandre disse...

Marco,

A mesma pergunta foi feita a mim no Twitter. Responderei a você da mesma forma que respondi a meu amigo:

Inicialmente, pode ser vantajoso para o Heber apitar 4 jogos. Ganhará mais dinheiro mesmo.

Agora, já pensou se ele tem uma atuação trágica em São Paulo e Palmeiras?

Aí pode ser punido. E caso seja, acabará perdendo dinheiro.

É melhor apitar menos, mas em boas condições. Dessa forma, acabará tendo maior benefício profissional.

Rafael Gomes disse...

Opa Massi! Olha eu aqui denovo!!!

Realmente é muito cansativo mas com o dinheiro que ele está ganhando ele deve fazer um esforço maior.

Marco disse...

É que aí caímos em outra situação, Alê! Vamos supor que ele tenha uma atuação trágica em São Paulo x Palmeiras. Ok. Será defenestrado pela mídia, punido por uma rodada pela Comissão de Arbitragem e pronto. Acabou. Na semana seguinte, ele volta como se nada tivesse acontecido. E perpetua sua fama de árbitro razoável que alterna boas e más apresentações. Estou dizendo isso porque, da forma como as coisas são feitas hoje, esse tipo de conduta acaba sendo completamente aceitável. Tá aí o Simon que não nos deixa mentir. Há árbitros de quem a gente já, tradicionalmente, espera lambanças. O Héber é assim. Diferente do Vuaden, um cara que pode até cometer alguns erros. Mas tem crédito pelas constantes boas atuações. Abraço!

Alexandre disse...

Marco,

Concordo com você. Todo este processo (atuação trágica - crítica da mídia - punição pela comissão de arbitragem) mostra que as coisas estão sendo feitas de forma errada.

A comissão de arbitragem tem que rever isso.

Agora, vou colocar um outro elemento na discussão:

Quantos dias os jogadores de São Paulo e Palmeiras tiveram para se preparar para o clássico? E quanto tempo o Heber teve?

Qual foi o desgaste dos jogadores dessas equipes durante a semana? E o desgaste do Heber?

Vale lembrar que, um árbitro chega ao estádio com mais antecedência que os times. Que ele não tem as mesmas facilidades de deslocamento que os ônibus das equipes. Que um árbitro ainda tem que preparar a súmula depois da partida. Que o árbitro raramente apita em seu estado, o que o obriga a estar sempre viajando.

Por último, uma resposta que deixei passar: um árbitro Fifa que apita um jogo de Série A do Brasileirão recebe 2.800 reais. O bandeirinha, caso também pertença ao quadro da Fifa, ganha metade do valor.

Abraço

Rafael Campos disse...

Bom, tocando nesse ponto do desgaste consigo ver q só o mental realmente pesa, mas o problema é q esse pode ser o maior deles. Nesse conjunto de físico e mente qual pesa mais para um boa atuação de um árbitro ? É claro que um árbitro mal preparado fisicamente, ou aquele que comprovadamente necessita d descanso não irá apitar bem, chegará atrasado na jogada, não verá com clareza o lance e assim por diante...e como eu acho que não é esse o problema do Heber em 4 jogos em 8 dias me atenho ao fator psicológico, da pressão, do peso das decisões polêmicas dos jogos na cabeça do árbitro em tão pouco tempo d jogo para jogo, e assim por diante, esse eu acho q seja o maior problema.